Agende Sua Avaliação

Pesquisar este blog

Localização

Nova Marca Orthodontic

quarta-feira, 12 de abril de 2017

Implante dentário: é possível ter complicações após o procedimento?


Saiba mais sobre os riscos e formas de se proteger de eventuais problemas com o novo sorriso

A falta de um ou mais dentes, que antes atrapalhava o dia a dia das mais variadas formas, finalmente poderá ser resolvida. Ao pesquisar sobre as vantagens do implante dentário, a lista de benefícios parece não ter fim, não é? Mas por mais empolgante que um novo sorriso possa ser, é importante ter bastante atenção aos riscos que envolvem o procedimento para que tudo saia conforme o esperado. 

COMO É FEITO O PROCEDIMENTO

Implantar um dente, de fato, é uma das melhores opções para recuperar a função e estética do elemento que estava em falta na cavidade oral. Na teoria, o processo é simples de ser explicado: por meio de uma cirurgia são colocadas raízes artificiais de metal dentro do osso, logo abaixo da gengiva, que funcionarão como suporte para a prótese dentária. Para que tudo dê certo, no entanto, é preciso que alguns passos sejam seguidos pelo dentista e pelo paciente.

PARA CADA CASO, CUIDADOS DIFERENTES

Na prática, Paulo conta que existem várias possibilidades cirúrgicas para reabilitações com implantes. “O que acontece é que alguns casos são mais complexos e apresentam mais chances de complicações pós-operatórias”, explica o dentista. Segundo ele, nessas situações, cabe ao profissional escolher a melhor técnica cirúrgica e os protocolos corretos. Já ao paciente, cabe seguir a risca as orientações pós-operatórias indicadas para minimizar quaisquer problemas.

É POSSÍVEL PERDER O IMPLANTE?

O dentista conta que, atualmente, o índice de sucesso da implantodontia supera 98%. O número, apesar de bem alto, também deixa claro que existe a possibilidade, ainda que pequena, de que algo não saia como o esperado. "Os motivos podem ser, entre outros, por falta de estabilidade e aquecimento do tecido ósseo durante a instalação do implante. Ambos podem prejudicar a cicatrização e com isso levar à sua perda”, esclarece.

OS RISCOS

Tudo deve ser levado a sério em todas as etapas. O especialista explica que contaminações e infecções são ameaças tanto durante quanto após o procedimento e, por isso, devem ser combatidas com cuidados redobrados. “Se as suturas abrirem dias depois da cirurgia, por exemplo, o especialista deve ser comunicado imediatamente, já que infiltrações bacterianas locais e infecções são riscos reais”, ressalta.
Na relação de riscos, no entanto, é possível tirar uma preocupação da lista: se existe algum temor quanto a rejeição do corpo ao implante dentário, o material utilizado é biocompatível, confeccionado em titânio com alto grau de pureza e, portanto, bem recebido pelo organismo.

PREVINA-SE DE PROBLEMAS

É importante lembrar que a prevenção começa ainda antes da cirurgia. No consultório, por exemplo, todo material usado deve ser esterilizado. O paciente também faz sua parte usando medicamentos que agem diretamente na gengiva e mucosas, mas sempre com a orientação do profissional. Esse procedimento é importante para que nenhuma contaminação aconteça e surpresas desagradáveis sejam evitadas.

Já no pós-operatório, o dentista ainda reforça a importância do uso correto de antibióticos, anti-inflamatórios e analgésicos. Outro detalhe essencial é fazer sempre uma boa higiene e deixar a boca livre de perigos durante a cicatrização.

 Por fim, vale reforçar: o bom resultado depende um pouco de cada parte envolvida, por isso, siga todo o protocolo prescrito pelo profissional.

Fonte: Sorrisologia 


Nenhum comentário:

LinkWithin

Related Posts with Thumbnails